Republicano e bom articulador: o legado de Lissauer Vieira para o Legislativo goiano

Republicano e bom articulador: o legado de Lissauer Vieira para o Legislativo goiano

O adiamento do recesso parlamentar da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) em função da entrega da nova sede, não foi suficiente para ofuscar, entre deputados da base e oposição, o sentimento de vitória. Isso porque em menos de um mês a sociedade goiana e os parlamentares verão concretizado um sonho que se arrasta ao longo de quase 20 anos. 

Elogiado pela conduta republicana, o deputado e presidente do Parlamento, Lissauer Vieira (PSB), é visto como “peça chave” por todos os que comentam a futura entrega. Com “seriedade, compromisso público e transparência”, o parlamentar viabilizou conquistas importantes para a Casa durante sua gestão.

Mas o carro chefe dentre todas elas é, sem dúvidas, o novo prédio. “Quando assumimos a presidência da Alego, em 2019, firmamos esse compromisso não só com os deputados e servidores, mas com toda a população goiana. Foi desafiador, principalmente, pelos impactos provocados pela pandemia. Mas com muito trabalho, apoio dos colegas parlamentares e responsabilidade com o dinheiro público, estamos entregando essa grande conquista que ficará como legado na história do Poder Legislativo de Goiás”, comenta. 

Casa nova

Depois de 17 anos de trabalho, a previsão é de que a nova sede da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), batizada de Palácio Maguito Vilela, seja entregue no início do mês que vem. O Palácio representa, de fato, um marco na história do Legislativo goiano e foi construído sob a promessa de um ambiente mais moderno e acessível à população.

O prédio antigo, Palácio Alfredo Nasser – no setor Oeste -, por sua vez, estava realmente defasado. Sem condições de atender a demanda, o que se via na região especialmente nos dias de reunião, se resumia a uma confusão de carros nos arredores do Legislativo. O conflito, em relação ao trânsito, sempre terminava maximizado em função das atividades escolares, comerciais e religiosas da região. Ao que tudo indica esse problema – que representa uma das principais reclamações dos visitantes – está próximo do fim: serão mais de mil vagas no Palácio Maguito Vilela. 

De lá pra cá 

A edificação da nova sede, localizada no Park Lozandes começou em 2005 e foi paralisada por três vezes, a última delas em 2015, com a rescisão do contrato com a construtora anterior. Isso fez com que a obra ficasse parada por aproximadamente quatro anos. 

A construção foi retomada em 2019, já na gestão de Lissauer Vieira (PSB), que assegurou que os recursos, anteriormente empregados, não seriam desperdiçados pela possibilidade de deterioração das estruturas. Além disso, o parlamentar garantiu uma readequação do projeto, em relação às novas normas ambientais, de segurança e remodelação financeira. 

Em fevereiro de 2019, a ordem de serviço para a retomada foi assinada, dando início à execução de novo contrato, desta vez com a Construtora JL. O montante investido foi de R$ 125,6 milhões. Deste então os trabalhos seguiram em ritmo acelerado para a conclusão.

Embora as atividades no Palácio Maguito Vilela iniciem oficialmente em março, a partir do dia 25 de fevereiro será liberado o funcionamento dos gabinetes parlamentares, que já deram início à mudança para o novo prédio. No dia 3 de março, por sua vez, a previsão é de ocorra a primeira sessão ordinária, híbrida ou remota. No dia 8, do mesmo mês, está agendada uma cerimônia de entrega oficial. As atividades administrativas presenciais começam a ser retomadas gradativamente após esse período.

Sentimento 

Conforme mostrado pelo O Hoje, ao presidir o último encontro dos parlamentares no prédio localizado no Setor Oeste, o presidente da Casa de Leis, Lissauer Vieira (PSB) considerou aquele um “momento histórico”. “Estamos, mais uma vez, fazendo história, encerrando as sessões de 2021 nos despedindo, com muito respeito, desse prédio e deste plenário”. 

Depois continuou: “Vivemos, com muita alegria, um novo ciclo, por estarmos cumprindo mais uma meta. Isso só foi possível por conta dos servidores e parlamentares dessa nova Legislatura. Com toda certeza, um momento histórico para todos nós”, comemorou antes de encerrar definitivamente a reunião.

Profissionais já trabalham na transferência dos equipamentos para a nova sede. Nos últimos dias, diversos itens dos gabinetes e áreas administrativas foram recolhidos e equipamentos encaixotados com destino ao novo prédio.

Auxílio-alimentação

Outro ponto digno de destaque durante a condução da atual presidência diz respeito ao pagamento do vale-alimentação para servidores dos departamentos administrativos. O benefício era planejado desde 2019. “Com muito trabalho, conseguimos essa conquista, que representa muito para os servidores do Legislativo goiano, que, hoje, é um Poder independente e autônomo”, pontuou.

Ao comentar o assunto, Lissauer frisou, ainda, que essa é uma ação de valorização necessária aos servidores. “A Assembleia se transformou e é transformada por cada um de seus servidores. Tivemos que nos reinventar e, apesar de todas as dificuldades, saímos maiores. Agradeço a todos pelos resultados obtidos. Com o trabalho de cada um, revolucionamos a Alego. Temos trabalhado incansavelmente e com muita transparência”, frisou.

Com a implantação do benefício, mais de dois mil servidores, entre efetivos e comissionados, serão contemplados com o auxílio, que será efetivado juntamente com o salário de dezembro e com impacto mínimo na folha: em dezembro, o índice será de 1,53%. O vale não se estende aos servidores lotados nos gabinetes parlamentares, uma vez que eles são remunerados por verba dos próprios deputados. (Com informações da Agência Assembleia de Notícias)