Jovem é morta a tiros em Água Limpa; marido é suspeito

A jovem Yasmin Biallik da Silva, de 21 anos, foi morta a tiros em Água Limpa, no sul de Goiás. Segundo a Polícia Militar, o marido dela é suspeito de atirar pelo menos seis vezes contra ela e fugir. Uma amiga da vítima, que preferiu não se identificar, disse que Yasmin estava tentando se separar, mas o esposo não aceitava o fim do relacionamento. A Polícia Civil investiga o caso.

“Ela estava na casa do primo dela e foi na vizinha buscar um carregador. Ele chegou, perguntou se estava atrapalhando e ela disse que não. Ele sacou a arma. Ela tentou correr, ele deu o primeiro tiro, ela já caiu na hora. Ele ainda acabou descarrando o resto das munições nela e saiu sem rumo”, disse a amiga.

G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito até a última atualização desta reportagem. Segundo a Polícia Civil, até as 8h50 deste domingo (19), ninguém havia sido preso.

O crime aconteceu na noite de sábado (18), na casa de um primo da vítima. Segundo o delegado Ricardo Chueire, titular da 6ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Itumbiara, caso não seja alcançado em flagrante delito, o suspeito será alvo de prisão preventiva.

De acordo como relato da PM, quando os policiais chegaram ao local encontraram a vítima morta após sofrer vários disparos de arma de fogo. Testemunhas disseram aos militares que o ex-marido disparou cerca de seis vezes contra a mulher e fugiu em uma motocicleta branca.

Ainda segundo o relato de testemunhas à corporação, o homem já teria ameaçado matar a vítima outras vezes. Conforme a amiga, ele não aceitava o fim do relacionamento.

“Eles eram casados, porém ele é um homem muito abusivo. Ela tentou uma vez vir embora da fazenda onde eles moravam juntos. Eles tinham terminado, mas ele não aceitava. Ela estava suspeitando que estava grávida e hoje foi confirmado na autópsia que ela estava de três meses”, disse.

Yasmin Biallik da Silva, de 21 anos, estava grávida de três meses, segundo amiga  — Foto: Arquivo pessoal

Yasmin Biallik da Silva, de 21 anos, estava grávida de três meses, segundo amiga — Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil de Itumbiara foi acionada pela PM. A corporação acionou a Polícia Técnica Científica, que realizou uma perícia no local, e o Instituto Médico Legal (ML), que removeu o corpo.

A autoria é conhecida, o autor está foragido após a prática do crime e, caso não seja alcançado em flagrante delito, será alvo de Prisão Preventiva. O Delegado responsável pelo caso é o Dr Anderson Pelágio, que também é titular da Delegacia da Mulher de Itumbiara.